Archive

DiarioDeViagem

Posts on DiarioDeViagem.

Os preparativos para a viagem…

A intenção deste post é falar sobre as coisas que tive que providenciar e me informar antes de viajar e achei que seria interessante compartilhar com vocês, principalmente para aqueles que nunca fizeram uma viagem internacional e tem algumas (muitas) dúvidas que sempre aparecem.

  • PASSAGEM AÉREA

Quando estava procurando uma passagem, acessava diariamente o Decolar um site que muito bom que facilita muito a busca, pois ele realmente encontra a que tem o menor valor, porém quando encontrei a passagem comprei direto no site da TAP, mesmo tendo a possibilidade de comprar no Decolar preferi comprar direto com a empresa.

  • BAGAGEM

A passagem que comprei na TAP me dá direito a levar bagagem de mão com até 8kg e até dois volumes de bagagem despachada com no máximo 32kg cada e isso é algo muito importante na hora de comprar uma passagem pois, dependendo da diferença de preço, talvez seja melhor pagar pela que lhe permitir transportar mais coisas.

Se quiser mais informações sobre bagagens na TAP segue clica aqui.

  • VISTO

Se você for passar menos de 90 dias na Europa não precisa de visto. Então se está indo só turistar nem se preocupe, mas observe o trecho do vôo antes de comprar, quando estava procurando vi vôos que passavam pelos EUA e neste caso é preciso ter visto para os EUA, cheguei a ver passagem custando 500 reais a menos do que comprei, mas eu não queria ter que ficar esperando um visto americano para poder ir pra Europa, onde não preciso.

  • SEGURO

Para entrar na Europa, se você for contribuinte do INSS não precisa pagar o seguro saúde, basta comparecer uma numa agência do INSS e pegar um documento. Essa foi a informação que vi em alguns sites numa busca rápida no Google e um amigo também falou para mim, ele disse inclusive que fez este procedimento quando foi.

Peguei o número da agência que ele foi e fui atendida por uma pessoa chamada Fred que me informou que isso realmente existe contudo não vale para toda Europa e perguntou meu destino, informei Portugal e Espanha e ele disse que para a Espanha não existia o acordo, mas que para Portugal sim, então pensei, vou fazer o seguro da viagem de qualquer forma, então decidi ir na agência de viagem CVC e procurar saber por quanto sairia um seguro completo (saúde + bagagem) para minha surpresa o valor para o período que iria ficar seria de R$ 62.40 (US$ 2.17 o dia), desisti completamente de ir no INSS para pegar o documento.

Caso seja de Recife e tenha interesse o número que liguei e tive essa informação no INSS foi (81) 3303 4691 e de acordo com o atendente chamado Fred, não precisa marcar hora, basta levar os seguintes documentos: CTPS, 3 últimos contra-cheques, CPF, RG e Passagem Aérea.

  • COMUNICAÇÃO

Antes de viajar é sempre bom procurar se informar sobre os valores das operadoras de telefonia do lugar que você está indo. Pergunte a pessoas que já foram, pesquise na internet e veja qual tem o melhor pacote e quando você chegar já providencie uma linha, contudo não deixei de ligar para sua operadora aqui no Brasil para se informar sobre os valores do minutos, sms e dados, pois vai que de repente você precisa usar a linha, nunca se sabe.

Na VIVO esta informação está no site e as tabelas de preço para a Espanha são:

  • ROTEIRO E HOSPEDAGEM

Faça um roteiro, a internet tá aí então aproveite isso para se organizar, se quer tudo mastigado, acredite, você também vai encontrar. Um tempinho atrás eu fiz um post sobre aplicativos que podem te ajudar a fazer roteiros e também a encontrar hotéis para ficar.

Não ficarei em hotel, pelo menos não em Ourense, mas quando precisar usarei o serviço/aplicativo Booking.com para encontrar a melhor opção 🙂

E não esqueça também do Foursquare e do Foodspotting que com certeza serão de grande ajuda quando estiver procurando um bom local para comer :P.



Estou indo alí na Espanha e já volto…

Crédito: Pinterest, divulgação

Dentro de alguns minutos estou embarcando para a Espanha, conhecer um pouco da Galícia, meu destino principal, Madrid e outros lugares. Não pretendo divulgar todo ele aqui, irei divulgando todos os lugares que for passando nas redes sociais: Twitter, Facebook, Instagram, Flickr, Foodspotting e Tumblr. Se quiser acompanhar é só escolher uma, ou todas e, acompanhar minha andança pela ‘Zoropa‘.

Não estou levando meu queridinho Macbook Pro porque o Galaxy Tab 2 resolve todos as minhas necessidades para esta viagem, porém escrever posts nele não é tão rápido quanto no Mac, por esse motivo não posso garantir posts muito longos como geralmente faço quando são sobre viagens, mas eles sairão, um dia sim, dois não e por aí vai, contudo quando estiver em casa conto tudo :P. Quem já leu algum post sobre viagens e eventos aqui no blog sabe que procuro colocar o máximo de detalhes possível.

Preparei um outro post, que entrará por esses dias, que é meio que um To Do, que pode ajudar algumas pessoas que não tem costume de fazer viagens internacionais e quando voltar pretendo fazer outro com um resumo de coisas que você deve providenciar por lá.

 



[Diário de Viagem] Alto da Sé – Olinda/PE

Há uns dois finais de semana fui no Alto da Sé em Olinda/PE com meus pais, @raquel_lins e Rafa (filha de Raquel). Foi um passeio bem legal e, apesar de não ser nenhuma novidade para mim, queria tirar umas fotos legais para mostrar a vocês.

Todas as fotos que tirei, como sempre, deixei publicadas na minha conta no Flickr.

Não vou escrever muito neste post mas vou colocar muitas fotos 😛

Antes de chegar no Alto da Sé, @raquel_lins falou de um mosteiro que tinha por lá e eu não conhecia ainda. Engraçado isso, Olinda aqui do lado de casa e tem tanto lugar para conhecer, pior ainda é Recife que também tem lugares que só ouvi falar, uma vergonha isso :(, mas…

O Mosteiro de Nossa Senhora do Monte
tem uma lojinha e está aberto à visitação, mas somente uma parte.

Saímos de lá e fomos para o Alto da Sé.

 alt=

 alt=

 alt=

 alt=

 alt=

 alt=

A vista do elevador panorâmico é maravilhosa, de um lado Recife e do outro Olinda 🙂

 alt=

 alt=

 alt=

 alt=

 alt=

Ir no Alto da Sé e não comer tapioca não dá. Apesar de não gostar da massa eu gosto muito da tapioca da Barraca da Luiza que tem uma massa fina mas com muito recheio :).

 alt=

Depois de saborar a tapioca e conversar um pouco, fomos para o Mosteiro de São Bento mas infelizmente tivemos uma decepção quando chegamos lá e outras muitas pessoas também, tinha duas vans de turismo e todos queriam visitar mas infelizmente não podia entrar porque a igreja estava sendo decorada para um casamento.

Eu não queria atrapalhar nada na decoração da igreja somente tirar fotos do altar que é muito lindo, todo em ouro.

 alt=

 alt=

É isso, o Alto da Sé é um lugar muito bom para ir com a família num final de semana para comer uma tapioca e relaxar um pouco com a vista maravilhosa do lugar 🙂



[Diário de Viagem] Destino Piaçabuçu/AL

Ontem postei sobre a minha ida frustrada à cidade de Aracaju/SE e hoje falarei sobre a volta para casa.

Saímos de Aracaju por volta das 13h e nosso destino era Piaçabuçu/AL onde pretendíamos dormir para no domingo pela manhã fazer o passeio de barco e conhecer a foz do rio São Francisco, mas antes paramos em três cidades para tirar fotos: Japaratuba/SE, Igreja Nova/AL e Penedo/AL.

Antes de começar o falatório, quero fizer o caminho que fizemos para voltar para casa.

Barra dos Coqueiros/SE -> Japaratuba/SE -> Propriá/SE -> Porto Real do Colégio/AL -> Igreja Nova/AL -> Penedo/AL -> Piaçabuçu/AL -> Coruripe/AL -> Maceió/AL -> São Luís do Quitunde/AL -> Porto Calvo/AL -> Maragogi/AL -> São José da Coroa Grande/PE -> Ipojuca/PE -> Cabo de Santo Agostinho/PE

Nossa primeira parada foi em Japaratuba onde meus pais até um picolé compraram.

Seguimos para Igreja Nova e enquanto eu tirava fotos da igreja, um senhor de idade, perguntou a meus pais se iriamos para Penedo e eles disseram que não. Podem achar que é maldade mas sinceramente dar carona a estranhos é algo que não fazemos. Já pensaram se esse homem tem um ataque e morre no carro, não é exagero, imaginem a confusão.

Chegamos em Penedo umas 15h e achei a cidade bonita, mas muito mal cuidada. A vista do rio São Francisco atrás da Igreja de Nossa Senhora do Rosário dos Pretos é linda.

Fomos olhar também o Porto de Penedo. Poderíamos ter vindo por Neópolis/SE e ir de Balsa até o porto, mas não tem hora certa para ela sair e disseram para a gente que o intervalo entre saída e chegada pode demorar mais de hora. Imagina a gente chegar na hora que uma sai. Preferimos não arriscar.

Saímos de Penedo e seguimos para Piaçabuçu e já estamos nos conformando com a idéia de que o feriado havia realmente terminado no sábado, afinal, como vocês podem perceber nas fotos o tempo não estava cooperando e por conta do acontecido pela manhã em Aracaju o ânimo ficou bem menor.

Chegamos em Piaçabuçu e tiramos algumas fotos só para registrar que estivemos por lá.

Pois é gente, a viagem acabou por aí. Seguimos de Piaçabuçu para casa e meus pais remarcaram o trabalho de domingo, já que acabamos voltando mais cedo.

Acredito que o próximo post sobre viagens demore um pouco a sair, mas em breve sairá um de Olinda e/ou Recife 🙂



[Diário de Viagem] Destino Aracaju/SE

Como contei a vocês no post anterior a este na quinta-feira, eu iria passar o feriadão andando e o destino era Aracaju/SE, contudo por conta de algo que aconteceu no sábado pela manhã eu só queria chegar em casa, então eu posso dizer que meu feriado não foi muito bom, por sinal estou em casa desde às 23h de ontem, vou contar tudo a vocês.

Eu só fiz essa viagem por que meus pais estavam a caminho de lá para um trabalho no sábado, por que se não fosse por isso, sinceramente eu teria ido para uma praia aqui por perto mesmo só para passar o dia e não seria na sexta, pois estaria uma muvuca em todo lugar.

Saímos na sexta-feira pela manhã cedinho, por volta de umas 5:30h e não fomos pelo litoral, fizemos o seguinte trecho:

Cabo de Santo Agostinho/PE -> Escada/PE -> Palmares/PE -> Novo Lino/AL -> Messias/AL -> São Miguel dos Campos/AL -> Propriá/SE -> Aracaju/SE

Pelo caminho vimos umas 3 ou 4 carretas viradas e um ônibus lotado de gente quebrado, as fotos estão no álbum no Flickr.

Ao contrário do que fizemos a caminho de Triunfo/PE, nós seguimos direto, não paramos nas cidades para conhecer.

Chegamos em Aracaju por volta das 13h e seguimos direto para o Mercado Municipal para, além de tirar fotos e óbvio conhecer, almoçar no Caçarola que @raquel_lins havia me indicado, mas para a nossa surpresa, o mercado estava fechado. Uma decepção e infelizmente era só o começo.

Depois seguimos para a Colina do Santo Antônio que tem uma praça e uma igreja que valem a pena visitar, lugar lindo, calmo e com uma vista muito bonita.

 Almoçamos e seguimos para a Barra dos Coqueiros, uma ilha que é ligada a cidade pela Ponte Construtor João Alves. Por sinal a ponte é bonita, e seria muito interessante se tivesse uma banqueta para poder parar o carro e tirar umas fotos de lá, quero nada né 😉

Barra dos Coqueiros me pareceu ser um lugar muito parecido com as praias que temos proximas a Recife, onde as pessoas vão nos finais de semana para descançar.

Saindo de lá fomos atrás de um hotel para ficar, só queríamos uma noite, pois pretendíamos dormir na noite de sábado para domingo em Piaçabuçu/AL. Achar um hotel com um quarto vago foi uma verdadeira caçada. Pior é que quando víamos o nome pousada achávamos que era uma pousada, mas na verdade nem sempre era. Umas 4 vezes quando chegamos próximo era um motel e não pousada.

Depois de umas duas horas parando de hotel em hotel finalmente encontramos a Pousada Oceanica que tinha um vago custava R$ 170 e era para 4 pessoas, minha mãe conversou com o recepcionista e conseguiu que ele baixasse para R$ 150.

Ficamos no quarto por um tempo, para tomar banho e descansar um pouco e a noite fomos andar pela orla que por sinal é muito bonita.

Estava um tumulto de gente, acredito que por conta do feriado, no dia-a-dia acho que deve ser um pouco mais calmo.

Tirei algumas fotos mas como eu iria ficar a manhã inteira no sábado sozinha, já que meu pais estariam trabalhando decidi que pela manhã eu tiraria. Elas ficariam bem mais bonitas ao meu ver.

Jantamos na Pizza D’Oro e não nos arrependemos da escolha. Uma pizza de massa fina e com bastante recheio, uma delícia.

Fomos atendidos por uma garçonete muito simpática, infelizmente não perguntei o nome dela, se não indicaria aqui para o caso de alguém aparecer por lá.

Quando saímos de lá fomos direto para a pousada dormir.

No dia seguinte meus pais foram trabalhar e eu fui andar pela orla para tirar fotos e foi aí que a viagem acabou para mim.

Ao contrário das orlas de João Pessoa, Recife e Olinda na orla de Aracaju não tem muita gente andando por ela pela manhã e pior não tem policiamento. Podem falar mal da orla de Recife o quanto quiserem mas a cada 200 ou 300 metros tem dois policiais, o dia e a noite toda, eu caminhava muito por lá e sempre vi.

Nesta, o que vi foi NADA, nem a noite, nem durante o dia, sem contar que pessoas andando só eram homens, não vi uma mulher andando só. Por que será? Eu me senti uma refém por uns 10 ou 15 minutos, que pareciam não terminar nunca e tive que manter a calma por algo pior poderia ter acontecido.

Começou assim, comecei minha andada no Monumento aos Formadores da Nacionalidade e segui no sentido do Oceanário e minha vontade era de andar por ela toda.

Pelo caminho pouquíssimas pessoas caminhando e “problema” começou quando eu estava chegando no Mundo Maravilhoso da Criança, tinha uns 3 caras que ficaram soltando piadinhas, continuei andando e vi um rapaz que devia ter por volta de seus 14/15 anos, entrei para tirar umas fotos e quando estava saindo, já na porta, esse rapaz veio até mim e disse que tinha uns caras ali atrás querendo pegar minha câmera, eu disse que iria ficar atenta e agradeci, mas ele não saiu do meu lado. Ficou dizendo que tinha uns lugares mais para dentro bons de tirar fotos, tinha um lago com umas casinhas de pato, em resumo, eu estava ferrada. Ele não tomou minha câmera por que eu estava com ela bem segura, não adiantaria puxar, ele queria me levar para uma área menos visível onde possivelmente os outros estavam “nos esperando”.

Eu apressava o passo e ele puxando assunto e não saia do meu lado e sempre dizendo que tinha um ponto bom para fotos e era sempre lá para dentro. Queria uma barraquinha de coco, como existe em Recife, que sempre tem gente, mas cadê? Finalmente depois de alguma andada apareceu uma, pensei que ele iria me deixar em paz, mas não, pedi uma água e ele permaneceu ao meu lado, o atendente me deu a água e deu as costas.

Tomei a água e continuei andando e ele ao meu lado, o oceanário estava fechado, eu pensei que lá iria me livrar dele, pois é pago para entrar, mas não foi, contudo para minha felicidade a Nozes Tour estava aberta, entrei e fingi que ia fechar uns pacotes para passeio e o rapaz permaneceu ali na porta, não entrou, com medo dele não sair dalí até que eu saísse, sem sair da loja virei e disse ao rapaz que iria ficar alí para acertar uns passeios e só assim ele foi embora.

Quando virei o rapaz da agência me perguntou se estava tudo bem e claro que eu disse que não e contei tudo a ele. Ele disse que poderia ficar alí o tempo que precisasse. Fiquei por quase 1:30h.

Quando saí de lá passei no Oceanário que estava aberto, era umas 10h, e segui quase que correndo para a Pousada e só saí de lá quando meu pai chegou para me buscar.

Eu procurei não demonstrar medo, tentei manter a calma, pensei que se eu gritasse ele poderia ter uma faca e me furar, se ele tentasse puxar a câmera eu corria para a pista, passou tanta coisa na minha cabeça…

O rapaz da agência disse que o movimento na orla é mais depois das 17h.

Pois é gente, meu passeio em Aracaju acabou aí, por que eu não queria mais ficar um minuto nesta cidade. Só almocei no O Renatão e seguimos para Piaçabuçu. Mas isso fica para o post de amanhã 🙂

O álbum com todas as fotos estão no Flickr.



[Diário de Viagem] Destino Triunfo-PE – Parte 4

Este é o último post sobre a viagem, desculpa a quantidade de posts mas me empolguei, aviso logo que este será grande talvez até maior que o de ontem mas espero que estejam gostando 🙂

No domingo acordamos cedo, por volta das 6h, eu queria tirar fotos do hotel antes de ter movimento (coloquei elas no post de ontem) e também tomar café logo no primeiro horário e seguir conhecendo os lugares.

Nossa primeira parada foi no Açude, novamente, para tirar uma foto panorâmica, acho que ficou legal.

Depois seguimos para o Colégio Stella Maris que agora é uma pousada, mas estava fechada. O lugar é lindíssimo mas infelizmente está mal cuidado, as plantas estão ficando secas, tem lixo no jardim, precisa de cuidado rápido.

De lá fomos para o Pico do Papagaio. A estrada não é muito boa e graças a Deus conseguimos chegar sem problema.

Sofri o caminho todo, por que fomos no meu carro e ao contrário do carro do meu pai (quem estava no volante era ele) o meu não aguenta o mesmo rojão que o dele.

Nesta última foto já dava pra ver a antena do Pico do Papagaio.

Por sinal quem tem problema de ouvido aguente a dor, por todo o trajeto o meu doeu e não teve chiclete que ajudasse, compre muuuuitos.

Depois de 8km rodados chegamos, apesar de “curto” o trecho, a estrada ruim torna o trajeto longo.

A vista é lindíssima mesmo com o tempo nublado. Fiquei imaginando com o céu limpo como seria. 🙂

Outra coisa que me deixou muito feliz foi o 3G da Vivo que estava funcionando muito bem lá, mas também só lá, porque na ida e na volta do Pico não funcionou.

O nosso penúltimo destino foi a Cacimba do João Neco que depois de algumas paradas perguntando como chegar, chegamos 😛

De acordo com o site oficial da cidade de Triunfo a história da cacimba é essa:

A Cacimba de João Neco localizado no sítio Lajes a 5 km da cidade trata-se de um poço vertical com aproximadamente 25 metros de profundidade, com um túnel com medidas aproximadas de largura de 1,20m, altura de 2,5m e com extensão de 30m.
Escavado sozinho pelo proprietário do terreno chamado João Neco o qual foi concedido a homenagem póstuma de nomear o local.
João na tentativa de amenizar os moradores da comunidade do efeito da seca no ano de 1932 e percebendo a dificuldade com a qual seria para os idosos e para as crianças retirarem a água do poço, ele escavou um túnel com escadaria perpendicular ao poço, este túnel chega até a nascente do poço facilitando a retirada e a locomoção dos moradores.
Com uma arquitetura artesanal de homem simples, mas uma obra de um grande engenheiro, na entrada foi feito um arco com pedras brutas, um trabalho bem arrojado para a época da sua construção.

E nosso último destino em Triunfo foi a Furna do Holandês ou também conhecida como Furna da Laje.

Tanto na Cacimba do João Neco quanto na Furna, cada pessoa paga R$ 1 (um) para ver.

Antes de sair de Triunfo, meu pai já tinha levantado a possibilidade de passar em Princesa Isabel e claro que eu topei, então saímos e fomos direto para ela. Não era muito distante, uma meia hora de carro (não lembro a kilometragem).

Antes mesmo de chegar na cidade minha linha morreu, não tinha sinal nenhum. Contudo a de meus pais estava funcionando (a deles é TIM), mas foi chegar na cidade que morreu também. Primeira coisa que me passou pela cabeça foi rezar para que o carro não quebrasse, hehe

Voltando a cidade… Achei ela muito mal cuidada, o trânsito bagunçado, sinceramente, um lugar que não pretendo voltar.

Saindo de lá fomos para Flores, a última cidade que paramos para olhar.

A cidade é bem organizadinha, achei uma fofura e a igreja matriz é lindíssima.

Quando saímos de Flores paramos em Custódia para almoçar no mesmo lugar que comemos na ida e seguimos para casa.

Espero que vocês tenham gostado dos 4 posts longos e só lembrando, todas as fotos estão no Flickr.

Até a próxima viagem 🙂