Archive

CPRecife3

Posts on CPRecife3.

PCR lança o Hacker Cidadão 2.0 na Campus Party

O hackathon premiará os três primeiros lugares com bolsa de estudo no CESAR e computadores de última geração. As inscrições para participar da maratona de programação pode ser feita a partir da próxima segunda-feira (21).

Parceira institucional da Campus Party, a Prefeitura do Recife apoia mais uma vez este que é um dos maiores e mais importantes eventos de tecnologia, inovação, criatividade e cultura digital do mundo. Celebrando a parceria, a PCR lança o desafio Hacker Cidadão 2.0. A maratona de programação desafia os participantes a criar aplicativos com as informações disponíveis no site de dados abertos do executivo municipal. Com articulação da Secretaria de Desenvolvimento e Planejamento Urbano, o objetivo dessa participação no evento é difundir as ações no âmbito tecnológico desenvolvidas pela PCR e promover o acesso à informação. A Campus Party acontecerá no pavilhão do Centro de Convenções do dia 23 até 27 de julho.

Pelo terceiro ano consecutivo a Campus aporta na capital pernambucana e a Empresa Municipal de Tecnologia do Recife (Emprel) junto com as secretaria municipais de Educação e de Meio Ambiente e Sustentabildiade marcam presença. A proposta da prefeitura dentro da Campus é difundir alguns projetos e programas ligados à tecnologia, como o Programa de Robótica na Escola. Durante o evento, alunos da rede municipal de ensino devem visitar a Campus. Além disso, a PCR busca incentivar o uso da base de dados abertos do Executivo Municipal como fonte de informações que possam ser convertidas em aplicativos que prestem serviço à população.

A PCR levará para a arena da Campus o hackathon Hacker Cidadão 2.0. Esta é a segunda vez que a maratona de programação organizada pela Emprel acontecerá. O concurso começa a valer a partir do dia 24 e os participantes precisam desenvolver o aplicativo até o dia 26. Para participar é preciso ser um dos quatro mil campuseiros e se inscrever no site da Campus Lab a partir desta segunda-feira (21). No site os concorrentes encontrarão as áreas que desejam trabalhar na construção dos projetos e todo o regulamento. O resultado será anunciado no encerramento do encontro, no dia 26.

O desafio lançado pela Emprel no hackathon deste ano é a construção de apps fazendo uso dos dados abertos da Secretaria Municipal de Finanças, da Empresa de Manutenção e Limpeza Urbana do Recife (Emlurb) ou da Companhia de Trânsito e Transporte Urbano do Recife (CTTU). Inovação, criatividade, interatividade, prestação de serviço e funcionalidade serão levados em consideração. Os autores dos três melhores trabalhos ganharão uma bolsa de estudos no Centro de Estudos e Sistemas Avançados do Recife – CESAR. Além disso, o primeiro lugar ganhará um computador de última geração e os segundo e terceiro lugares levarão para casa netbooks.

A experiência vivenciada no ano passado impulsiona as expectativas para esta terceira edição. “Em 2013 realizamos o Hacker Cidadão e tivemos 56 projetos inscritos. Desses, 27 foram selecionados e apresentaram os aplicativos. Com o dobro de campuseiros já inscritos para esta edição da Campus, esperamos que o número de projetos seja maior”, disse o presidente da Emprel, Eugênio Antunes.

Já no estande que ficará na área Open Campus, a prefeitura, em parceira com o Porto Digital, apresentará oito aplicativos com base em Playable City. Trata-se de um conceito que incentiva o cidadão a vivenciar o espaço urbano de maneira criativa e inovadora. Os aplicativos que serão apresentados unem arte, cultura e interatividade buscando aproximar a cidade das pessoas por meio da tecnologia. “O Recife, de forma geral, já se apresenta com um ambiente propício para o desenvolvimento de ideais com base no conceito de uma playable city. Conhecer de perto esses aplicativos permite o acesso ao conhecimento e incentiva uma nova relação das pessoas com a cidade”, explica o secretário de Desenvolvimento e Planejamento Urbano, Antônio Alexandre.

Secretaria de Educação do Recife – A secretaria realizará oficinas nas três linhas de robótica que compõem o Programa Robótica na Escola, são elas: robótica de encaixe (LEGO), humanoide (NAO), e robótica livre (confecção de robôs a partir de sucata). As oficinas serão ministradas por estudantes da rede municipal de ensino, que já tem contato com este tipo de linguagem.

O estande também terá exposição de duas mesas interativas desenvolvidas especialmente para apoiar o ensino e aprendizagem da língua portuguesa, desde a etapa inicial do aprendizado da língua até sua consolidação. Além dessas atividades, 16 crianças participarão do projeto Imprensa Mirim. Elas entrarão no universo da produção de notícias editando vídeos, fotos e textos usando tablets. Cerca de três mil estudantes da rede municipal devem visitar a Campus.

Robótica na Escola – No total, mais de 80 mil estudantes da educação infantil ao 9º ano do Ensino Fundamental serão beneficiados pelo Programa Robótica na Escola, que foi lançado em fevereiro deste ano. A ação chegará a 302 escolas e creches da rede, que utilizarão as novas tecnologias nas atividades em sala de aula.

Com investimento de mais de R$ 20 milhões, o Robótica na Escola é realizado em três linhas de trabalho: a da metarreciclagem e ferramentas (na qual os robôs podem ser feitos com peças mecânicas recicláveis e programados pelos alunos), a dos blocos de encaixe e a de robôs humanoides. Os estudantes da educação infantil e do Ensino Fundamental trabalham com a linha de blocos de encaixar da LEGO ZOOM, enquanto os alunos do 6º ao 9º ano aprendem a trabalhar com a linha de eletrônica e programação de computadores, além dos robôs humanoides.

Secretaria de Meio Ambiente e Sustentabilidade – A secretaria lançará concurso de jogos digitais seguindo a identidade visual da Turma do Mangue e Tal, programa que faz parte das ações do Núcleo de Arte Educação. Também durante a Campus, um totem interativo com perguntas e resposta revelará a relação das pessoas com o meio ambiente. O resultado medirá o grau de contribuição dos visitantes da Campus Party com os cuidados com a sustentabilidade tendo como foco principal a cidade.

Dados abertos da PCR – A publicação de dados governamentais em formato aberto é uma iniciativa global amplamente difundida em países como Reino Unido, Estados Unidos e Espanha. A Prefeitura do Recife não fica de fora e há um ano passou a disponibilizar suas bases de dados. O Brasil é um dos pioneiros na América Latina a disponibilizar informações governamentais e o Recife assume a vanguarda na publicação de dados abertos municipais.

via Prefeitura do Recife