[Diário de Viagem] Destino Triunfo-PE – Parte 3

Continuando a história do post de ontem sobre minha viagem à Triunfo.

Depois de almoçar seguimos para Serra Talhada, onde pretendíamos além de olhar a cidade rapidamente tirar umas fotos da Barragem de Serrinha, mas infelizmente não conseguimos entrar, tentaremos outro dia.

A Igreja Matriz estava fechada, vocês já devem ter percebido que acho essas igrejas de interior lindas, né ;). Quero muito tirar fotos dela por dentro, deve ser mais bonita ainda.

Depois de Serra Talhada finalmente chegamos em Triunfo, parecia que não chegava mais não é?! 😛

A primeira parada foi no SESC que infelizmente não conseguimos nos hospedar. Tinha somente um quarto disponível e era duplo, como eu estava com meus pais era tranquilo ficar nesse quarto, mas o recepcionista disse que não poderia deixar três pessoas num quarto duplo, e nem poderia coloca uma cama extra, um absurdo, nunca vi isso, um hotel neste porte não ter como colocar uma cama ou colchão extra.

Mas sabe o que é pior? O recepcionista informou que o quarto duplo custava R$ 180 só que no site eu tinha visto que custava R$ 100, informei a ele que era comerciário e ele disse que era esse preço, em resumo, pegamos um recepcionista ruim, só pode.

Como estávamos tranquilos decidimos ir atrás de outro hotel mas antes eu queria ir no teleférico. O passeio custa R$ 10 para usuário e R$ 5 para estudando e comerciário (com carteira)

Quando saímos de lá paramos numa lojinha de artesanato e o rapaz nos indicou o Otellin Trimph e fomos direto pra lá deixar as coisas e andar pela cidade.

O quarto é bem grande, parece até uma mini casinha, tirei algumas fotos e coloquei aqui. Pagamos R$ 150 pelo quarto com café da manhã.

Como já falei do hotel vou colocar logo algumas fotos mas elas só foram tiradas no outro dia (domingo), pela manhã.

Depois de deixar as coisas no hotel fomos andar pela cidade. As duas fotos abaixo são da Igreja Matriz de Nossa Senhora das Dores.

Depois de tirar algumas fotos e andar um pouco paramos no Açude João Barbosa, que como vocês viram nas fotos é muito bonito, para descançar, só que minha mãe deciciu entrar uma loja de artesanato que ela viu e acabou que conhecemos a Fátima Barros.

Uma pessoa muito simpática que conversamos por um tempo e contou algumas coisas sobre a cidade, sobre ela, deu algumas dicas e nos indicou a Pizzaria Papo de Buteco, onde jantamos.

A pizzaria que ela indicou, é considerada a melhor da cidade, só que só abre por volta das 19h e eram umas 17h, decidimos ficar na Praça Carolino Campos e esperar vendo o movimento da cidade e planejando o dia seguinte.

Sobre a pizzaria, achei ela simples, aconchegante e com uma pizza normal, lembra muito pizza feita em casa, custou a grande com 8 fatias R$ 22. Eu estava com tanta fome e sono que esqueci completamente de tirar a foto dela inteira, tirei só da fatia :(.

Gente vou parar por aqui, o post não está grande, está gigante, eu falei demais e coloquei foto demais, mas espero que estejam gostando 🙂

Amanhã terá a última parte da viagem, fomos para o Pico do Papagaio, Cacimba/Gruta do João Neco e para a Furna do Holandês 😛

Só lembrando que todas as fotos estão na minha conta do Flickr.



3 comments Comentario

  1. elisabete alves

    boa tarde!
    gostaria de saber se a estrada e muito acidentada?

    Reply
    1. Elisabete,

      Na época que fui, não estava ótima, mas dava para andar sem dores de cabeça.

      Atc,

      Reply

Leave a comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *